[Coluna] Paradigma da Fortaleza

Extra League Masculino República Tcheca 2020Em muitas idas e vindas de campos, em eventos, torneios ou simplesmente em conversas com algumas pessoas, muitas (inúmeras) vezes sempre escuto que temos que ser; nos tornar e permanecer fortes, ou, para piorar, devemos educar nossos atletas para serem fortes.

Treinamos duro, damos bronca, cobramos, fazemos pressão, tudo pensando no bem do esporte, no bem das crianças e em nome do futuro.

Mas, será mesmo que estamos fazendo todo esse bem a eles? A nós mesmos?

GERAÇÃO SOFTBOL BRASIL

Geração Softbol Brasil - Chie SomeyaGeração Softbol Brasil - Barbara WollGeração Softbol Brasil - Manami CalixtoGeração Softbol Brasil - Rebeca LaudinoGeração Softbol Brasil - Samira TanakaGeração Softbol Brasil - Nena OgataGeração Softbol Brasil - Chryssia TaináGeração Softbol Brasil - Vivian MorimotoGeração Softbol Brasil - Ayumi ShiromaGeração Softbol Brasil - Guga ShibataGeração Softbol Brasil - Especial com Fernanda Missaki

 

 

Não é difícil, muito menos estranho, encontramos atletas com depressão, bloqueios, medos, receios, entre tantas outras condições psicológicas. Ser forte tem um preço alto. Esconder o que se sente machuca. Usar uma mascará social deixa marcas.

Então, vamos parar um pouco e pensar:

O que realmente estamos fazendo pelas pessoas? Estamos ensinando nossos atletas a ganharem? Ou apenas estamos transmitindo a eles a nossa visão ou nossas expectativas e frustrações?

Vamos reformular?

Estamos ensinando aos nossos jogadores o preço que o pódio cobra? Estamos ensinando sobre o peso da liderança? A cobrança da conquista? E principalmente, estamos ensinando a eles sobre como perder faz parte de um ciclo de aprimoramento?

O que os motiva para acordar cedo todos os dias e ir para o campo, treinar duro e renunciar a muitas coisas? É a vontade de vencer ou a necessidade de atender as expectativas de alguém?

Ganhar é ganhar?

Sempre que se fala sobre vencer, se fala sobre os grandes astros, se engrandece as conquistas, endeusa-se a figura, mas ninguém fala sobre os sacrifícios que eles fizeram para chegar até ali. Todos veem o campeão, mas ninguém quer olhar a trajetória que o levou a ser campeão.

Falamos das conquistas, mas nunca falamos dos sacrifícios, nunca abordamos o que todos esses campeões abriram mão para chegar onde chegaram e o preço que pagaram por isso.

ESCALAÇÃO

PGM #01 - ESCALAÇÃO SOFTBOL BRASIL COM FERNANDA MISSAKIPGM #02 - ESCALAÇÃO SOFTBOL BRASIL COM SHANTAU STOFFELPGM #03 - ESCALAÇÃO SOFTBOL BRASIL COM MARIANA RIBEIROPGM #04 - ESCALAÇÃO SOFTBOL BRASIL COM YUKARI SAKAIPGM #05 - ESCALAÇÃO SOFTBOL BRASIL COM SAYUMI AKAMINEEscalação Softbol Brasil - Ana CobasEscalação Softbol Brasil - Tsuani YamaguishiEscalação Softbol Brasil - Maria Júlia AraújoEscalação Softbol Brasil - Heloisa Oliveira

Escalação Softbol Brasil - Hildo LimaEscalação Softbol Brasil - Patrícia HamamotoEscalação Softbol Brasil - Camila HamasakiEscalação Softbol Brasil - Indião MissakiEscalação Softbol Brasil - Márcio Maeda

Escalação Softbol Brasil - Final de Temporada

 

Devemos ser fortes?

Sim, claro, mas com qual objetivo?

Força nos leva a sermos campeões? Títulos passam, muitas vezes são esquecidos.
Ser forte vai nos tornar pessoas melhores? Iremos nos tornar uma referência?

O questionamento volta, qual o objetivo disso? O que isso vai engrandecer o atleta? Como isso transforma nosso jogador em uma pessoa melhor? Aliás, como isso engrandece a sociedade em que estamos?

Não existe uma conversa sobre vitórias, onde não se fala sobre derrotas. Ganhar te engrandece, mas são as derrotas que te moldam. Como ser forte se não conhecemos a fraqueza? Qual o sentido da força?

É sempre válido, nós termos a consciência de que independente dos questionamentos que fazemos, nossa missão é nos conectar, nos relacionar com as pessoas. Nossa força não se mede pelos títulos que conquistamos, muito menos pelos troféus que exibimos, mas sim pelos laços que formamos e pelas vidas que transformamos

Não deixe de assistir:

Nutrição no EsporteSaúde no EsporteLa PostureMedicina Esportiva

 


**P.S – Agradecimentos a Fabiana Kuroda, que auxiliou no desenvolvimento deste texto! **

Deixe suas dúvidas, criticas e sugestões:

(foto: Czech Softball)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.